A importância da vacinação de pets em um ambiente seguro

Quem tem um pet em casa, com certeza já sabe da importância da vacinar seu animal de estimação. O que muitos proprietários não levam em consideração é o cuidado na hora da imunização do animal, que considera vários fatores.

As vacinas mais importantes para os cães são a V10 e a anti-rábica (contra a raiva canina), que deve ser aplicada em cães filhotes e adultos. A V10 é uma vacina polivalente que imuniza o cão contra dez diferentes vírus causadores das principais doenças em cães, como cinomose, parvovirose, coronavirose, adenovirose, parainfluenza, hepatite infecciosa canina e mais quatro tipos de Leptospirose. Ela deve ser aplicada nos filhotes em 3 ou 4 doses seguidas com intervalo de 21 a 30 dias, já a partir de 45 dias de vida. O reforço é feito anualmente em cães adultos.

Já a raiva canina é uma zoonose, doença que pode ser transmitida aos humanos e a vacinação é obrigatória por lei.

Além dessas duas vacinas essenciais, também é possível imunizar o cachorro contra a traqueobronquite (tosse dos canis), giárdia e leishmaniose. A necessidade da imunização contra essas doenças, porém, deve ser avaliada caso a caso, pois depende do estilo de vida do animal, habitat e particularidades da raça.

“Para ser vacinado o paciente deve estar em boas condições, que só o médico-veterinário qualificado pode identificar. O exame físico é de extrema importância, assim como o histórico do paciente.”, ressalta a veterinária especialista do Hospital Veterinário Santa Inês, Luciana Santos.

Além da saúde do animal, outro detalhe importante a ser levado em consideração é a disposição e o ambiente em que a vacina é mantida.

“O armazenamento das vacinas deve ser rigoroso e sempre seguindo a orientação do fabricante, principalmente em relação à temperatura.”, alerta a especialista.

O protocolo de vacinação depende do tipo de vacina e das indicações para cada indivíduo e deve ser estabelecido pelo veterinário. Outro ponto importante é o de uma reação vacinal, há necessidade de algumas medicações de emergência, que devem estar sempre disponíveis.

O ambiente deve ser limpo e o material utilizado esterilizado e depois descartado para evitar possíveis contaminações.

O comprovante de vacinação deve ser sempre fornecido com os dados do tutor e do paciente, assim como datados, carimbados e assinados pelo médico-veterinário.

 

Fonte: Blog Santa Inês

 

Não perca tempo! Faça hoje mesmo o seguro saúde do seu bichinho!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *